5 erros de music branding que sua marca não deve cometer

Dicas de Music Branding

A música tem um poder incrível sobre o cérebro e o humor das pessoas. Estimulando lembranças, sensações e experiências, ela pode relaxar, alegrar, entristecer e até mesmo irritar. Por isso, o mesmo cuidado dedicado à imagem da sua loja deve ser dado ao som ambiente escolhido para acompanhar as compras dos clientes. Sensorialmente, o consumidor cria um vínculo entre o que ele ouve e sua marca e, quanto mais positiva for sua sensação, melhor para sua imagem e para as vendas, isso é o que chamamos de Music Branding.

Conheça no post de hoje alguns erros comuns cometidos no music branding e veja se sua loja está caindo nessas armadilhas e deixando de aproveitar todo o potencial da música para gerar identificação com a marca e alavancar as vendas.

Escolher a trilha sonora apenas por gosto pessoal

Por mais que você acredite na qualidade do seu gosto musical, o foco deve ser sempre o cliente na hora de escolher a trilha sonora da sua loja. Conhecer o seu público é a melhor maneira de se aproximar do estilo musical que vai agradá-lo e fazer com que ele tenha uma experiência auditiva positiva com sua marca.

Fazer escolhas musicais aleatórias

Sabendo os estilos que mais agradam ao seu público, é preciso planejar o objetivo da trilha musical de acordo com o seu negócio. Você quer que o cliente faça compras rápidas ou permaneça mais tempo na loja? Quais sensações você deseja despertar? Opções que parecem óbvias, como música infantil para lojas de brinquedos, devem ser pensadas com cuidado, pois o som pode irritar os adultos, que são quem de fato fazem as compras.

Deixar o volume muito alto ou muito baixo

Uma música muito alta pode causar desconforto no cliente e fazer com que ele saia rápido demais da loja, além de comprometer o atendimento ao cliente. Isso porque a equipe de vendas terá que disputar o volume da voz com a música e pode acabar gritando, o que resulta em uma experiência de compra muito negativa. Por outro lado, uma música muito baixa vai passar despercebida e não vai gerar as sensações esperadas com o music branding.

Usar aparelhos de som de baixa qualidade

Um aparelho que soe como uma caixa de abelhas certamente não fará com que seu cliente assimile a qualidade dos seus produtos. Invista em um bom equipamento de som, que favoreça a dispersão da música por todo o ambiente de maneira que ela seja ouvida com a mesma qualidade em qualquer ponto da loja.

Manter a playlist desatualizada

Mesmo as melhores músicas podem se tornar cansativas se o cliente decide passar mais tempo na loja e os sons se repetem incansavelmente. Como a ideia é criar identificação por meio de uma experiência agradável, sua loja não precisa, necessariamente, se apegar a apenas algumas músicas.

O ideal é atualizar periodicamente a playlist com as novidades que vão surgindo no mercado musical, sempre atento ao gosto já identificado no cliente e que melhor funciona para o seu negócio.

Serviço de Music Branding no Brasil

Gostou das dicas acima, mas ainda não sabe como executar para evitar possíveis problemas? Então conheça o Rádio Atmosfera, primeiro serviço especializado em Music Branding do Brasil. Você pode testar por 7 dias grátis:

Rádio Atmosfera Experimentar

CONTEÚDO VIP

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *